Horário de verão começa neste domingo

17 de outubro de 2009

O horário de verão deste ano começará a zero hora deste domingo nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País e terminará a zero hora do dia 21 de fevereiro de 2010, o primeiro domingo após o carnaval.

Desde o ano passado, o horário de verão passou a ter um período definido de início e término. Os relógios devem ser adiantados em uma hora no início do horário de verão e atrasados em uma hora ao seu término.

O decreto 6.558, de 8 de dezembro de 2008, determinou que o horário de verão deve começar sempre no terceiro domingo de outubro. O término, de acordo com o decreto, foi definido para o terceiro domingo de fevereiro. O decreto, porém, define uma exceção para o encerramento do horário de verão: quando o terceiro domingo de fevereiro coincidir com o Carnaval, o horário de verão será prorrogado até o final de semana seguinte.

O horário de verão vigorará nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.

Agência Estado.

O horário de verão vai reduzir entre 4 e 5 por cento a demanda de energia elétrica no país, o que significa uma economia de 1.800 megawatts nas regiões Sudeste e Centro-Oeste e de 500 MW na região Sul, informou nesta terça-feira o presidente do Operador Nacional do Sistema (ONS), Hermes Chipp. O horário de verão começa no próximo dia 18 e vai até 21 de fevereiro. De acordo com Chipp, a economia de energia no momento não é tão importante para o país, como em anos anteriores, mas contribui para o aumento de segurança do sistema.

“O importante não é a economia, mas a redução de demanda no horário de pico”, disse a jornalistas durante evento de energia no Rio de Janeiro.

O Brasil tem seu parque gerador concentrado principalmente em energia hidrelétrica e o período abundante de chuvas deste ano garante pleno abastecimento. Com a sobra de energia, as usinas termelétricas não estão sendo acionadas.

(Por Denise Luna)

Você gosta do horário de verão? Deixe seu comentário.

Dia Mundial das Missões

16 de outubro de 2009

No penúltimo domingo de outubro a Igreja Católica celebra o “Dia Mundial das Missões”. Desde pequeno ouvi histórias heróicas de missionários que deixavam a pátria para anunciar o Evangelho a povos que ainda não conheciam a Jesus Cristo e ainda não eram batizados em nome de Deus Pai, Filho e Espírito Santo.

Com entusiasmo escutava a vida de famosos missionários, contada por minha irmã Dorotéia. Entre eles está São Francisco de Assis, que não temia os sultões islâmicos e lhes anunciava o Evangelho da paz e da fraternidade (paz e bem!). Francisco é hoje muito admirado pelo seu amor às criaturas, como aparece no “Cântico do Irmão Sol”.

Outro missionário que me impressionou é São Francisco Xavier. Quando vou a Paris, sempre visito a igreja de Montmartre (o Monte dos Mártires), onde Francisco Xavier se uniu a Santo Inácio de Loyola e com outros quatro companheiros, se consagraram a Deus, dando início à Companhia de Jesus.

Aos 35 anos Francisco Xavier percorreu a Índia, a Málaga, as Molucas. Costumava dizer: “Se não encontrar um barco, irei a nado”! Criou o primeiro núcleo de cristãos do Japão. Morreu aos 46 anos, à beira-mar, enquanto aguardava um barco para a China.

Há também Santa Teresinha do Menino Jesus, que nunca saiu do Carmelo de Lisieux (na França), mas costumava rezar pelos missionários e oferecia sua vida pelas missões. Foi declarada padroeira principal das missões. Pois o ardor missionário reside no íntimo mais profundo da alma.

Um teólogo amigo lembrou que “somos conclamados a sermos missionários e discípulos do senhor no ônibus, na praça, no clube, no comércio, em casa, na escola, no trabalho e em todo lugar por onde andamos e com quem convivemos. Ser cristão dentro do espaço religioso é fácil; o desafio é ser cristão no hodierno de nossa vida”.

Não podemos esquecer nossa Igreja Irmã de Sinop e Diamantino, onde nossos padres diocesanos criaram muitas paróquias e seis deles continuam nas frentes missionárias do Nortão do Mato Grosso, ao lado de nossos bispos Dom Gentil Delazari e Dom Canísio Klaus.

Neste final de semana acontece em todo mundo a COLETA para as Missões. É um modo de nos comprometermos com o anúncio do Evangelho aos povos que não conhecem a Jesus Cristo e não receberam o batismo.

Sempre lembrando que missionários devemos ser todos, cada qual em seu lugar, com seus dons e suas possibilidades.

Dom Sinésio Bohn

Bispo de Santa Cruz do Sul

15/10/09.

Está aberta a maior celebração germânica do Rio Grande do Sul

8 de outubro de 2009

Já começou a maior celebração germânica do Rio Grande do Sul. Na noite desta quarta-feira, 7, foi aberta oficialmente a 25ª Oktoberfest e Feirasul, que seguem até o dia 18 de outubro, com inúmeras atrações; entre shows nacionais, farta gastronomia e mais de 300 horas de música típica alemã. A cerimônia de abertura contou com a presença  do presidente da Festa da Alegria, Ido Inácio Dupont, do presidente em exercício da Associação de Entidades Empresariais (Assemp) de Santa Cruz do Sul, Luiz Eduardo Kothe, da prefeita e presidente de honra da 25ª Oktoberfest e Feirasul, Kelly Moraes, do deputado estadual Adão Villaverde (representando o presidente da Assembléia Legislativa, Ivar Pavan) e do secretário de Estado do Turismo, Esporte e Lazer, José Heitor de Souza Gularte (representando a governadora Yeda Crusius), entre outras autoridades. Após a execução do Hino Nacional – interpretado por Mara Lúcia Inácio de Oliveira, acompanhada por Lívia Luz –, o público acompanhou um breve histórico da Festa e da imigração alemã, que completa 160 anos desde sua chegada na região do Vale do Rio Pardo.

Durante a solenidade de abertura, prestigiada por milhares de pessoas, também foram apresentadas à comunidade as estátuas dos bonecos símbolos da Festa, Fritz, Frida, Max e Milli, que saúdam os visitantes junto ao chafariz localizado em frente ao Parque da Oktoberfest. Entre os pontos altos da cerimônia de abertura esteve a apresentação dos integrantes do projeto social Arte é Vida, da Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer; bem como da presença das soberanas das edições anteriores e das recepcionistas que receberão os visitantes nos próximos 11 dias de Festa. Representando o folclore, apresentaram-se os dançarinos do Centro Cultural 25 de Julho e da Sociedade Cultural e Folclórica Oktobertanz. As atuais soberanas, a Rainha Michele Wrasse acompanhada pelas Princesas Letícia Herberts e Mariana Moser Landesvatter, e os bonecos símbolo do evento, Fritz, Frida, Max e Milli, foram recebidos carinhosamente pelo público que lotava a Rua Galvão Costa. Ao final do espetáculo, o desenlace da fita inaugural, o brinde oficial foi feito pelas autoridades presentes e o show de fogos de artifício.

REALIZAÇÃO – A 25ª Oktoberfest e Feirasul é uma realização da Prefeitura Municipal em parceria com a Associação de Entidades Empresariais (Assemp) de Santa Cruz do Sul e conta com o patrocínio master da Philip Morris, Ambev, Souza Cruz e Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul). Apóiam a Festa da Alegria as empresas Alliance One, Universal Leaf Tabacos, Banco do Brasil, bem como os órgãos governamentais, Ministério do Turismo, Secretaria de Estado do Turismo e Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul. Mais informações sobre o evento estão disponíveis no site www.oktoberfestsantacruz.com.br .

Começa a Festa da Alegria!

7 de outubro de 2009

A 25ª Oktoberfest e Feirasul têm início oficialmente hoje, às 19h30. A cerimônia ocorre junto ao Pórtico de Entrada do parque, em frente ao chafariz. A maior festa da cultura germânica no Rio Grande do Sul receberá os visitantes com ingresso grátis no primeiro dia. Um show pirotécnico promete colorir o céu de Santa Cruz do Sul.

Até o dia 18 de outubro, o evento oferece uma intensa programação, com atrações artísticas e culturais: shows nacionais, apresentações de danças folclóricas, bandas típicas alemãs, jogos germânicos, exposições e desfiles de carros alegóricos, além de farta gastronomia.

A cerimônia de abertura contará com o envolvimento de 200 pessoas, dedicadas a mostrar a grandiosidade da Festa da Alegria nos seus 25 anos. O espetáculo será dividido em oito módulos e terá atores que, por meio da expressão corporal, contarão a história da saga dos imigrantes alemães até os dias atuais. Participam também os bonecos Fritz, Frida, Max e Milli, soberanas das edições anteriores e a atual corte da festa, rainha Michele Wrasse e as princesas Letícia Herberts e Mariana Moser Landesvatter. Grupos de dança e música darão o ritmo da cerimonônia, que termina com o corte da fita inaugural, a abertura do primeiro barril de chope e o show de fogos.

A 25ª Oktoberfest e Feirasul é organizada em parceria pela Associação de Entidades Empresariais de Santa Cruz do Sul (Assemp) e Prefeitura de Santa Cruz.

Os meus 75!

25 de setembro de 2009

Quando padre novo, achei a idade de cinqüenta anos um limite razoável de vida. Trabalhei muito, dei tudo de mim a Deus, à causa da formação de novos padres e ao atendimento do povo católico. Certo dia me dei conta de que ultrapassara a faixa dos 50 e ninguém notara, nem eu!

Dia 11 de setembro último fiz 75 anos. É a idade do ancião, a 3ª idade, “a mais bela idade”!

O Direito Canônico (Cânon 401) solicita que o Bispo diocesano peça renúncia de seu ofício quando completa 75 anos: “O Bispo diocesano, que tiver completado setenta e cinco anos de idade, é solicitado a apresentar a renúncia do ofício ao Sumo Pontífice”.

O que o Papa faz com o pedido de renúncia? O mesmo Código Canônico responde com prudência: “Ponderando todas as circunstâncias, tomará providências”.

Enquanto a renúncia não for aceita, o Bispo renunciante continua no ofício. Continua Bispo Diocesano.

É importante que o próprio Bispo se prepare para um novo tempo. É o que procuro fazer. Mas é necessário que a Diocese também se prepare.

Primeiro, mantendo a unidade do Presbitério (padres e bispo unidos). Segundo, orando para que Deus ilumine o sucessor de Pedro na escolha do novo Bispo. Finalmente, gerando no povo disposição de acolher com fé e cordialidade o sucessor escolhido.

Pessoalmente, continuarei como “Bispo emérito”, isto é, uma vez ordenado, sou bispo sempre, mas sem o governo da Diocese. Pretendo trabalhar intensamente para a glória de Deus e o bem do povo. O lugar e o ministério serão decididos em sintonia com o sucessor e as instâncias diocesanas.

Meu pai, quando fez 75 anos, me disse: “Quando era jovem, trabalhei muito pela família e a comunidade, mas dediquei menos tempo à oração. Agora que estou velho me dedico mais à oração”.

Estava certo meu pai. O Apóstolo Paulo nos adverte: “Não temos aqui morada permanente, mas estamos à procura da que está para vir” (Hb 13,14). Portanto, pretendo também me dedicar mais ao ministério da espiritualidade e ao testemunho do sentido da vida.

Dom Sinésio Bohn

Bispo de Santa Cruz do Sul

24/09/09.